A ansiedade da separação

Assim que você sai de casa para trabalhar ou passar o dia fora seu cão começa a chorar ou latir e não para mais?

Se sim, você sabe que isso causa uma dor de cabeça danada – principalmente por causa das reclamações dos vizinhos.

Ou, às vezes, o pet apronta demais quando está sozinho, fazendo suas necessidades em lugares errados e destruindo tudo o que vê pela frente, transformando a casa num verdadeiro caos.

Bom, é possível que o peludo esteja sofrendo com a ansiedade da separação.

Esse quadro faz com que os pets se sintam abandonados – mesmo que o tutor deixe a companhia do animal por pouco tempo -, e passam a se desesperar, ficar com medo e se sentir perdidos.

Então, acabam deixando de lado tudo o que aprenderam com o adestramento e a convivência e passam a adotar um comportamento destrutivo ou assustado para aliviar a tensão e o estresse.

Mas por que isso acontece?

Geralmente, há duas ou três explicações possíveis:

  • O cão sofreu uma grande mudança enquanto ainda filhote, sendo retirado da companhia da sua mãe e irmãozinhos e isolado em outro local, como o quintal, sem os cuidados necessários de adaptação. Como tudo é novo para o pequenino, ele acaba criando inseguranças quando está sozinho e longe da companhia de humanos ou outros animais – o que leva aos maus comportamentos.
  • O tutor incentiva essa ansiedade sem querer, se despedindo do cão e deixando-o triste e sentindo a sua falta. Além de fazer uma grande festa quando retorna para casa, o que desencadeia uma bola de neve comportamental.
  • Outro problema é mimar demais o pet e fazer com que ele se sinta dependente do tutor, não deixando-o sozinho em nenhum momento.

E o que fazer?

Como as técnicas de adestramento, o ideal é começar praticando a separação saudável desde cedo, enquanto o cão ainda é filhote. Pois, assim, ele cresce assimilando que não tem problema ver o tutor saindo por algumas horas.

Mas, mesmo que ele já seja adulto, é possível fazer algumas coisas para ajudar nessa situação, como estimular o pet a brincar e ficar em outros cômodos sozinho e separar um cantinho especial para ele tirar uma soneca.

E lembre-se: no começo, é importante colocar elementos que façam o pet querer ficar ali, como os seus brinquedinhos favoritos ou algumas guloseimas bem gostosas!

É recomendável também não pegar o cão no colo ou ficar chamando-o para perto o tempo todo.

Não se esqueça de fazer com que ele se exercite todos os dias, para gastar a energia acumulada e ficar bem descansadinho em casa.

Vá devagar e com paciência, sem querer apressar o seu amicão a aprender tudo de uma vez. E nada de punições como agressões ou xingamentos, pois isso não ajuda em nada.

Com equilíbrio e cuidado, aos poucos esse comportamento vai cessando!

No Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *