Como lidar com cães assustados em casa

Como lidar com cães assustados em casa

Você já notou se seu pet se assusta facilmente com alguma coisa?

Algo que faça ele sair correndo, se esconder ou até latir demais, para chamar a sua atenção.

Podem ser barulhos altos, como fogos de artifícios, objetos, como uma placa luminosa, ou até um automóvel, pessoa ou animal que passa na rua.

Primeiro, é preciso esclarecer que o peludinho não nasceu com esse medo.

Em algum momento da sua vida, ele se deparou com algo novo que o assustou de início. É normal, todos nós já nos assustamos assim.

Porém, o problema é o que se faz logo depois que o pet demonstra estar com medo.

Infelizmente, dar atenção, pegar no colo para acalmar ou fazer bastante carinho não é indicado nesses momentos.

Isso porque essas ações são recompensas pelo bom comportamento, utilizadas, principalmente, no adestramento dos pets.

Então, por mais que doa ver o pet assustado e se sentir tentado a ir lá confortá-lo, é preciso ter força e resistir.

Dessa forma, você não estimula o cão a repetir esse comportamento quando ele se deparar com aquilo que o assustou inicialmente.

Receio ou curiosidade são respostas comuns do peludo no primeiro contato com algo novo.

Por isso é importante fazer a apresentação de novidades de forma tranquila, para que ele associe aquilo à algo positivo.

Quando o pet vai bem, sem medo – aí sim pode fazer carinho, dar petiscos e muito chamego!

Mas, se ele já tem medo de alguma coisa específica, é preciso ter paciência e trabalhar esse comportamento aos poucos.

Brincar com o pet perto daquilo que o assusta é uma boa opção. Mas, claro, respeitando o tempo do seu cãopanheiro, sem forçá-lo mais do que o necessário.

Assim, o medo vai diminuindo gradativamente.

Mas, e se ele tem medo de outros animais?

Nesse caso, a socialização do pet desde filhote não foi feita corretamente.

Então, é preciso apresentá-lo a outros pets aos poucos, de preferência que sejam calmos, para transmitir tranquilidade ao cão.

Na rua, é melhor optar por horários e locais com menos movimento.

E, quando o pet encontrar outro animal no caminho, dar um petisco e afago, para que ele o associe com algo bom.

O ideal é trabalhar o medo e comportamentos assustados no cão enquanto ele ainda é filhote, para que não desenvolva hábitos negativos no futuro.

Reforçamos, também, que é importante buscar ajuda profissional, principalmente em casos mais sensíveis.

No Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *